Merina Branca   Qualidades e Aptidões

Os Merinos Brancos caracterizam-se pela qualidade da sua lã e pela sua extraordinária rusticidade. Esta última permite-lhes suportarem as condições difíceis em que vivem, em regiões sujeitas a grandes amplitudes térmicas e a uma fraca e irregular queda de chuva, que compromete a sua alimentação durante largos períodos do ano.

O sistema de exploração mais comum é o regime de sequeiro extensivo, com efectivos de grandes dimensões (300 a 500 ovelhas), sendo hoje em dia a produção de carne o objectivo principal.

Reprodução

A ovelha Merina Branca é de ciclo éstrico permanente, pelo que pode ser utilizada em regimes reprodutivos diversos, consoante o interesse dos criadores. Tradicionalmente, o maneio reprodutivo mais utilizado baseava-se em duas épocas de cobrição (Primavera e Outono) o que permitia a colocação de borregos no mercado nas épocas do Natal e da Páscoa, respectivamente. Tem-se observado alguma intensificação no ritmo reprodutivo dos rebanhos, em que alguns criadores optam por épocas de cobrição de 2 meses de duração o que permite a obtenção de dois partos em dois anos. Outros criadores têm optado por manter os carneiros permanentemente no rebanho. O primeiro parto verifica-se, geralmente, entre os 18 e os 20 meses de idade. No quadro abaixo, indicam-se os valores médios dos índices reprodutivos desta etnia.

Fertilidade

80 a 85 %

Fecundidade

95 a 100 %

Prolificidade

110 a 115 %

Produtividade

80 a 90 %




Produção de Carne

A carne produzida pelos Merinos Brancos é, fundamentalmente, constituída pela dos borregos de pasto e de criação mais ou menos intensiva. Em geral, estes borregos são desmamados com 4 a 5 meses de idade e 25 a 30 kg de peso vivo. Em regime de acabamento intensivo, após um desmame precoce, entre os 45 e os 60 dias, atingem aqueles pesos com a idade de 100 a 120 dias e dão um rendimento em carcaça de 48 a 50 %. Aos animais de reforma cabem cerca de 20 % da produção de carne, tendo um rendimento ao abate de 42 a 45 %. Os dados ponderais são os seguintes:

Peso ao Nascimento

3.5 a 4.0 kg

Peso ao Desmame (120 a 150 dias)

25 a 30 kg

Peso dos Adultos

Macho

80 a 85 kg

Fêmea

45 a 60 kg



Produção de Leite

O regime de exploração seguido e as condições climatéricas das zonas onde vive o Merino Branco não são propícios para uma produção leiteira abundante. Após terem amamentado um borrego durante 4 a 5 meses, as ovelhas são submetidas a uma ordenha durante 90 a 100 dias, até meados de Junho. Os alavões iniciam-se, geralmente, em Janeiro ou Fevereiro. Durante o período de ordenha, a produção individual anda à volta de 20 a 25 litros.

Produção de Lã

O Merino Branco é produtor de lã fina, muito frisada, sugosa e de toque suave, o que lhe confere o primeiro lugar entre as lãs nacionais. Embora a desvalorização da lã relativamente a outros produtos do ovino, prevalece o interesse pelo seu melhoramento. Há muitos anos que a Junta Nacional de Produtos Pecuários vem interferindo junto dos criadores e das organizações, principalmente na zona dos Merinos, promovendo a boa tecnologia das tosquias, tratamento e armazenagem dos velos e ainda tipificação para venda em leilão, com garantia de preço para o produtor. As características desta produção são as seguintes:

Peso do velo

Machos

4.5 a 5 kg

Fêmeas

2.5 a 2.8 kg

Comprimento das Fibras

6 a 8 cm

Diâmetro das Fibras

18 a 25 micros

Rendimento em LAF

50 a 52%

Classificação (portuguesa)

De merino extra a merino forte